Next Porto speaker

O Evento RADICAL | Gustavo Carona

More info

November 13, 8:30am • Porto | Virtual | Zoom • part of a series on Radical

LADO A LADO: GERADOR

Somos uma comunidade criativa e se uma vez por mês, mesmo agora em modo online, levamos até ti o pequeno-almoço mais produtivo da invicta, deve-se aos nossos parceiros. Aos empreendedores e às mentes fervilhantes por detrás de projetos fantásticos que emprestam um bocadinho de si à CreativeMornings Porto.

A partir de hoje, e uma vez por mês, vamos falar de um dos nossos parceiros. Sem ordens ou preferências, todos vão ser apresentados.

Começamos com o Gerador, “uma plataforma de reflexão, ação e comunicação sobre cultura portuguesa”. Sem eles, o trabalho da CreativeMornings Porto não teria tanta visibilidade porque através das suas palavras, eles fazem as nossas chegar a mais pessoas.

Para nós, o Gerador é um instigador da cultura e identidade portuguesa. Uma porta aberta para conhecermos melhor o que nos identifica. Aqui neste projeto com raízes em Lisboa cabe um palco online, onde de segunda a domingo entram em cena performances, conversas, música ou até jogos. Uma academia feita de pessoas apaixonadas que têm “uma mensagem para o mundo”. Uma revista centrada na investigação jornalística da cultura portuguesa. E outros momentos, todos materializados na Central Gerador, o espaço físico que detêm no Lumiar.

No mês em que falamos de movimento e “criatividade sobre rodas”, o parceiro em destaque tinha de ser o Gerador que percorre o país de norte a sul à procura de arte e cultura em todas as suas formas e feitios. Conhece melhor este projeto através do website e segue-os nas redes sociais Facebook e Instagram. No próximo dia 23 de outubro, eles vão estar connosco, e tu?

OUTUBRO É MÊS DE... MOVIMENTO!

Como é que conseguimos arranjar espaço para novas ideias e energia criativa sem sair do lugar?

Enquanto os carros, os comboios, os barcos, os aviões ou outros meios de transporte nos levam para onde precisamos de ir – tomar notas dos nossos mundos interiores e absorver os detalhes à nossa volta pode ser muitas vezes o melhor veículo de renovação.

A tua busca pode levar-te a longos passeios pela natureza, a cozinhar ao som das tuas músicas favoritas, a observar as estrelas, ou a mergulhar num processo imersivo.  Encontrares a tua calma e encheres o teu copo primeiro vai ajudar-te a seres uma versão mais completa de ti própria – não apenas para ti, mas também para todos aqueles que podem precisar de ti.

Faz uma lista das atividades às quais podes concorrer quando precisares de ir do ponto do A ao B. Guarda-a num local de fácil acesso e consulta-a quando as coisas ficarem difíceis.

O tema de outubro foi escolhido pelo capítulo de Cleveland e ilustrado pela Aleea Rae.

Carta Aberta ao/à Futuro/a Host!

Bem-vindos/as a mais uma edição das CreativeMornings Porto!” 

Esta deve ser a frase que mais vezes repeti nestes quase 2 anos enquanto Host de um projeto cheio de amor e feito com o coração e de uma Comunidade criativa na qual tenho muito orgulho.

A juntar a essa, há a célebre razão que me levou a fazer as CreativeMornings Porto: eu precisava de fazer amigos! Caída no Porto de paraquedas, com um filho com menos de um ano, sozinha e sem rede era urgente estabelecer uma vida social. Eventos depois do trabalho estavam vedados porque a essa hora entrava naquilo que chamo do meu segundo emprego: modo mãe. Restava-me então otimizar as manhãs e poder encontrar pessoas a essa hora! Nunca fui uma morning person, mas a vida obrigou-me a isso e eu tive de me adaptar para sobreviver sem ter de mudar por completo a minha identidade.

As CreativeMornings entraram na minha vida, pela mão da minha amiga, Elisa Baltazar, antiga Host das CreativeMornings Lisboa que na altura tinha ido a alguns eventos e todas as vezes falava disso com um entusiasmo suficiente para me pôr à procura da existência do evento por cá. Quando cheguei às CreativeMornings Porto a equipa estava em reestruturações. Tinha saído o antigo Host, havia uma pessoa para o substituir, mas por motivos que desconheço isso acabou por não acontecer e eu acabei por me candidatar a Host em Julho de 2018. Após um atribulado e longo processo de recrutamento, tornei-me oficialmente responsável pelo evento em Novembro de 2018, tendo decidido que estaríamos de regresso em Janeiro de 2019. Desde que entrei que sabia que o meu tempo aqui teria um fim. Tenho como princípio de vida, ter uma data limite para todos os projetos voluntários que faço na vida. Se há tantas causas a precisarem da nossa energia, não faz sentido estarmos sempre presos/as à mesma!

E por isso chegou o tempo de passar o testemunho a alguém que tenha a mesma paixão e motivação para continuar um projeto que é um farol nas manhãs da Invicta. As CreativeMornings Porto são um evento de criatividade, mas são principalmente um evento de pessoas, de verdadeira comunhão dentro da Comunidade. São um espaço onde sabemos que vamos encontrar alguém com um ponto comum à partida: a curiosidade de ir tomar um pequeno-almoço com desconhecidos e ouvir uma palestra inspiradora. E como bons portugueses que somos, há melhor maneira do que começar a conversa à volta de uma mesa com comida e café?

Quando o meu tempo à frente deste projeto chegar ao fim, quero acreditar que deixarei um legado que é um motivo de orgulho! Não levo comigo apenas a experiência de organizar eventos – que é a loucura! – mas levo principalmente os amigos que tanto precisei de fazer quando aqui cheguei. As CreativeMornings Porto roubaram-me muitas horas ao sono, mas trouxeram muito amor ao meu coração! 

Daqui levo uma família que tive o privilégio e o prazer de escolher. Levo imensas aprendizagens sobre o que é isto da Comunidade, levo uma troca de experiências com pessoas espalhadas pelo Mundo todo, levo fotografias ridículas mas muito saborosas, levo o quentinho no peito de ter arranjado trabalho a pessoas da comunidade, levo um eterno e impagável agradecimento a todas as pessoas que acreditaram em mim e patrocinaram este evento ao longo de 2 anos, levo a felicidade de ter visto um romance entre duas pessoas nascer num dos eventos, levo muitas ideias de projetos que ali despontaram e um sentido de missão cumprida.

Para o futuro e quem vier a seguir a mim desejo que num mundo cada vez mais incerto as CreativeMornings Porto possam ser a certeza de estarmos cá sempre disponíveis para a partilha, para os abraços (a imagem de marca das CM Porto), para o debate de ideias e para a construção de uma comunidade e de um mundo melhor. Que num mundo que parece cada vez mais sombrio continuemos a ser luz!


Texto: Ana I. Azevedo

Fotografias: Filipe Brandão

Ilustração: Joel Faria

Agosto foi sem Stress com a Katty Xiomara

Uma sexta-feira criativa começa às 8:30 com a CreativeMornings Porto, um tema pronto a ser explorado e um convidado com garra de mostrar o seu lado criativo. E foi exatamente isso que aconteceu no dia 28 de agosto. Estivemos à conversa com a Katty Xiomara sobre Stress. Na convidada reinou a calma e durante mais de 20 minutos levou-nos a todos a navegar pelos meandros do mundo da moda.

image

Em primeiro lugar, um agradecimento aos nossos patrocinadores que ajudaram a tornar a versão 3.0 do nosso evento possível. À SuperNova por nos ter recebido, e muito bem! Ao abcoffee, Senzu e Piquenique por nos manterem acordados e não nos deixarem passar fome. Ao Gerador, Porto Canal e Rádio Portuense, parceiros constantes. E ao Nomadx, a nossa janela neste mundo online.

Mulher, designer de moda, empresária, mãe, dona de casa e esposa. Katty Xiomara tem várias facetas e todas convivem em harmonia. Nascida na Venezuela, filha de pais portugueses, regressou a Portugal bastante jovem, por vontade própria. Com o início atribulado e peripécias típicas de quem não conhece a língua, a cultura e o país onde se encontra, nunca encarou a moda como uma profissão. Era antes uma vontade, algo que queria experimentar e descobrir. As oportunidades foram surgindo e pouco a pouco foi construindo uma marca.

Nas palavras da própria, cada dia é uma aprendizagem constante e o futuro é incerto. E nos dias que correm, este futuro, é uma das principais fontes de stress.

“O que faço não tem um grande contributo social, mas depois alguém me diz que comprou uma peça minha (…), diz como esta a fez sentir, e nesses dias não há stress!”

Num trabalho criativo, as fontes de stress são várias, e começam, por exemplo, com a falta de inspiração. Continuam com a gestão diária de um pequeno negócio, onde a dependência de terceiros é enorme. E culminam no momento final, a apresentação da coleção ao público.

image

Nos desfiles, o stress começa na conceção e desenvolvimento da coleção, continua com as modelos cujas fotografias e informação chega apenas uns dias antes, e termina nas provas, feitas momentos antes, quando há pouco que se possa alterar. Neste mundo, mudar um detalhe, significa muitas vezes mudar todo o plano.

“15 minutos para avaliar 6 meses de trabalho”.

No final, e para vencer o stress, é necessário gostar do que fazemos. Fazê-lo com paixão e muita criatividade. E não temos dúvidas que é a paixão pelo mundo da moda que todos os dias move a nossa convidada.

No próximo dia 18 de setembro temos novo encontro numa janela Zoom perto de ti. O tema Espectro e a convidada Sara Antunes. Reserva o teu lugar.

Até lá, convidamos-te a ouvir a conversa completa no nosso podcast mensal.


Texto: Mariana Monteiro

Fotografia: Filipe Brandão

Podcast: Liliana Gonçalves

Setembro é mês de... ESPECTRO!

Uma coleção de cores, alargando definições, uma ampla gama de identidades – todos nós vivemos em múltiplos espectros, onde estes colidem e se cruzam entre si. Assim como a diversidade na nossa alimentação, estilos de música e as skills que que praticamos, as nossas necessidades são distintas não existindo uma resposta única aplicável a todas.

Compreender e defender outras realidades padroniza afirmar que: O que eu experiencio, sinto e noto pode não ser o que tu vês como verdade. “Projeta para o espectro e não para o fim”, disse Michael Kaufmann na sua palestra na CreativeMornings. “Como é que nos movemos da hospitalidade cortês para inclusão corajosa?”

Como indivíduos comprometidos com uma vida artística, podemos pintar possibilidades renovadoras que não são apenas para nós próprios, mas também para outros. Reúne as tuas ferramentas: ouve, perscruta o teu íntimo, aceita o desconhecido, agarra no prisma e vira-o de pernas para o ar – provavelmente irás encontrar uma combinação impressionante de oportunidades para fazeres a diferença.

O capítulo de Las Vegas escolheu o tema Espectro para o mês de setembro, e Iandry Randriamandroso ilustrou-o.

“Behind the Scenes” | Voluntária Beatriz Ferreira - Chest Helper

image


1. Vamos começar devagarinho e pelo mais normal: Como te chamas? E como te chamam?

Olá! Eu chamo-me Beatriz e não posso dizer que tenho alcunhas por aÍ além mas Bea é sempre o que me chamam mais, ou então Bicas para a família ou Bibi quando calha (mas é muito raro). Os amigos normalmente ou vão com Bea ou com Pina ou Carmo. É para onde estiverem virados nesse dia! 😂


2. Para percebermos melhor quem és: o que fazes, tens feito e queres fazer nas CM Porto?

Neste preciso momento? Muita coisa! Mas acabei este ano a Licenciatura em Som e Imagem e estou atualmente a tirar mestrado na área da Imagem! Para além dos estudos, tenho encontrado algumas oportunidades de trabalho dentro da área das artes. Em relação às CreativeMornings, eu faço o que mais gosto! Faço parte da equipa de vídeo, tiro as ocasionais fotografias e ajudo na gestão das redes sociais, mais ligado ao Instagram.


3. E na vida? O que é que fazes para pagares contas?

Um pergunta um pouco complicada. Ainda estou a estudar, e sem contar com os pequenos trabalhos que faço, ainda estou por conta dos meus pais nesse aspeto.


4. À parte de seres uma pessoa maluca para acordar antes das 7h e não teres nada melhor para fazer nas madrugadas de sexta-feira porque é que te meteste nisto de fazer parte da equipa de Voluntários das CM? Dá-nos uma boa razão para continuares a acordar de madrugada e vires fazer as CM Porto de borla?

Caí de paraquedas nas CreativeMornings! O meu querido amigo João Ferreira perguntou-me num belo dia de faculdade se eu queria participar e fazer umas filmagens para um evento que acontecia todos os meses e acho que foi uma explicação suficiente porque ainda aqui estou! 😂 Acho que é suficiente dizer que estar com amigos, fazer o que gostamos, ouvir e aprender coisas novas com a presença de um belo pequeno-almoço me faz querer continuar a ir às CM!


5. De que maneira o que tu fazes na vida (pessoal/profissional) está relacionado com o que fazes/dás/deixas nas CreativeMornings Porto? 

Eu vim para as CM com o intuito de fazer parte da equipa de vídeo, e na vida eu faço o mesmo. A área de vídeo foi das que mais explorei tanto no secundário como na licenciatura, por isso não poderia estar a fazer algo mais relacionado nas CM como o vídeo! 😌Agora, as redes sociais (de que também faço parte), são coisas que sempre gostei de trabalhar, especialmente agora que comecei a tirar um curso de Design Gráfico! Como disse, estou 100% ligada à área da Imagem.


6. Qual é a tua tara ou mania que nunca tiveste coragem de revelar ao Mundo mas que tens oportunidade de o fazer nas CM Porto?

Confesso que esta pergunta é difícil de responder, mas diria a música. Não é propriamente uma tara nem mania mas seria algo, que se quisesse (e deixasse a minha timidez entre outras coisas de lado), o faria! (E quem sabe, ainda a posso vir a revelar!).


7. O que gostavas que ficasse escrito no teu epitáfio? 

A felicidade vem de nós mesmos. Somos mais fortes do que pensamos. 


8. Para ti, criatividade é…

A criatividade é uma mistura maravilhosa de magia e acontecimentos!


9. Deixa uma mensagem que inspire tanto quem te lê que dê vontade de procurar já o link para se inscrever na próxima CM Porto!

Chegar às CreativeMornings não é só comer, sentar, ouvir e sair. É chegar, sentir o burburinho de mais um dia a começar, de ouvir as vozes de pessoas amigas e de novos desconhecidos, de trocar palavras e conhecimentos, de provar belíssimos docinhos e de chorar por mais! É juntarmo-nos a dezenas de pessoas que se ligaram ao mesmo propósito e deixar a conversa e a criatividade voarem! As CreativeMornings são um espaço para criar novos contactos e ouvir falar de outros! As Creative Mornings são, na sua essência, uma família.

“Behind the Scenes” | Voluntária Ana Azevedo - Anfitriã

image

1. Vamos começar devagarinho e pelo mais normal: Como te chamas? E como te chamam?

Ana Azevedo, mais conhecida por Ana Decíbel devido aos decibéis que a minha voz alcança.


2. Para percebermos melhor quem és: o que fazes, tens feito e queres fazer nas CM Porto?

Eu sou a maestrina desta orquestra maravilhosa que dá pelo nome de CreativeMornings Porto. Sou a maluca que se candidatou a Host sem nunca ter estado numa única CreativeMornings na vida e que conseguiu convencer mais 15 pessoas a organizarem isto com ela.


3. E na vida? O que é que fazes para pagares contas?

Sou Investigadora na Universidade do Porto. Faço um Doutoramento em Ciências da Educação ligado à Indústria 4.0 e à formação profissional. E faço um podcast que dá pelo nome de “Tinderella: O amor nos Tempos do Tinder” e que virou rubrica de televisão no Porto Canal.


4. À parte de seres uma pessoa maluca para acordar antes das 7h e não teres nada melhor para fazer nas madrugadas de sexta-feira porque é que te meteste nisto de fazer parte da equipa de Voluntários das CM? Dá-nos uma boa razão para continuares a acordar de madrugada e vires fazer as CM Porto de borla?

Porque adoro conhecer pessoas novas e esta é uma das melhores formas de socializar que conheço! E porque quero muito ajudar a construir uma verdadeira comunidade que se junte para fazer coisas boas por si e pelos que mais precisam de nós!


5. De que maneira o que tu fazes na vida (pessoal/profissional) está relacionado com o que fazes/dás/deixas nas CreativeMornings Porto?

Nada! E esse foi precisamente o motivo que me levou a fazer as CreativeMornings Porto. Ainda que eu acredite que a criatividade é uma competência essencial a qualquer grau de educação, mas isso é toda uma outra história! Acho acima de tudo que todos precisamos de um escape do trabalho. Não sou nada aquela pessoa que acha que só deves fazer o que gostas, não! Todo o trabalho tem partes que não gostas e ainda bem, isso dá-nos resistência. Uma coisa é trabalho, outra coisa é lazer e ser parte da comunidade. E eu gosto de fazer as duas.


6. Qual é a tua tara ou mania que nunca tiveste coragem de revelar ao Mundo mas que tens oportunidade de o fazer nas CM Porto?

Digo adeus a absolutamente todas as câmaras da Via Verde que existem em todas as auto-estradas por onde passo! E gosto muito de inventar verbos novos!


7. O que gostavas que ficasse escrito no teu epitáfio? (Nunca pensaste nisso? Genial, é por isso que estas perguntas estão aqui!)

Aqui jaz Ana Azevedo que viveu sempre tudo o que a vida lhe ofereceu, sem mágoas, com poucos arrependimentos e com muito, muito Amor.


8. Para ti, criatividade é…

Resolver problemas!


9. Deixa uma mensagem que inspire tanto quem te lê que dê vontade de procurar já o link para se inscrever na próxima CM Porto!

Já disse isso muitas vezes a muitas pessoas que conheci nas CreativeMornings Porto: todos nós nos sentimos sozinhos em diferentes alturas das nossas vidas. Apesar do que possa parecer, principalmente em época de redes sociais onde se vive só a felicidade, todos temos dias maus e momentos de solidão. As CreativeMornings Porto são um antídoto a esse estado. Aqui, mais do que conhecer pessoas, queremos dar os primeiros passos para encontrar amigos! E não negamos oportunidades de Amor! Quero muito ter uma história de Amor que tenha acontecido nas CreativeMornings Porto para contar ao mundo. E pelo meio levar daqui uma família que perdure para lá destas reuniões mensais!


Foto: Filipe Brandão

Agosto é mês de... STRESS

O stress, na sua forma mais básica, é uma resposta.

A sensação de stress pode, muitas vezes, manifestar-se como uma tensão palpável que flui pelo corpo.  O stress pode infiltrar-se no seio dos teus pensamentos e decisões – ansioso por toldar o teu discernimento e tirar o poder de decisão de ti.

Como um popular ditado diz, “Entre estímulo e resposta, existe um espaço. Nesse espaço está o nosso poder para escolher a nossa resposta. Na nossa resposta está o nosso crescimento e a nossa liberdade.” * O que podes fazer quando o stress se manifesta no teu corpo, mente e espírito?

Cria os teus mantras, aproveita o ar livre, medita, escreve, toca um instrumento, dorme ou fica quieto. Afasta-te dos hábitos que contribuem para o stress na tua vida. Familiariza-te com o sentimento de calma, para que quando o stress chegar, possas calmamente guiar-te através dele. Como a Shannon Lee nos ensina na sua palestra na CreativeMornings, é possível “criar e restruturar a vida”, para ti mesmo, baseado na forma como gostarias de viver a tua vida.

No espaço entre o estímulo e a resposta, afasta alguma atenção do stress, respirando fundo – e pede para que saia porta fora.

O nosso capítulo de Varsóvia escolheu para o mês de agosto explorar o tema Stress e Shanee Benjamin ilustrou o tema.

5 Ideias para Potenciares a tua Criatividade:

 A criatividade é a nossa capacidade de criar, de inventar! É uma palavra com origem no latim “creare” e desiga novas formas de executar tarefas de uma maneira diferente do habitual com a intenção de satisfazer um propósito.

A criatividade é uma característica que apenas foi estudada de forma rigorosa, a partir dos anos 50, no âmbito da psicologia. Sabe-se hoje em dia, que a produção criativa não pode ser atribuída exclusivamente a um conjunto de habilidades e traços de personalidade do criador, dado que esta é influenciada por elementos do ambiente onde esse indivíduo se encontra inserido (Hennessey & Amabile, 1988). 

O autor Mihaly Csikszentmihalyi (1996),  diz-nos que é mais fácil desenvolver a criatividade dos indivíduos através das mudanças do ambiente do que os fazer pensar de forma criativa.  Isto significa que as características extrínsecas são fundamentais no processo criativo, já que a criatividade é um factor multidimensional  (Lubart, 2007).    

Assim, decidmos propor-te 5 ideias fáceis de implementar que podem potenciar a tua criatividade!  Aproveita  o verão - e as férias - para deixares a imaginação fluir e a criatividade a vir ao de cima!


1.       Organiza a tua estante de livros pelas cores do arco-íris.

image

Mais do que criativo, isto é muito millenial, típico daquela geração nascida nos anos 70-80 que tem a mania de organizar não apenas os livros, mas também os roupeiros por cores. A ideia base é simples, criar uma imagem bonita e harmoniosa e que nos permita divagar mais facilmente pelos livros que temos na estante e que seja ela própria uma decoração. Se formos pessoas especialmente visuais, terá um maior impacto na sensação de bem-estar.


2.       Cria uma playlist colaborativa com outros criativos que admiras.

image

Há lá melhor forma de ligar pessoas diferentes do que através da música? A música é aquela linguagem universal que independentemente da língua que falamos nos ajuda a comunicar de uma forma única e a entrar na mesma sintonia, independentemente das palavras. Já dizia o Rui Veloso que não se ama alguém que não ouve a mesma canção!  

E porque acreditamos que a música é uma linguagem do amor, demos o mote e decidimos criar uma playlist colaborativa com a nossa Comunidade, que conta já com 71 músicas e uma duração de mais de 5h. Se precisas de inspiração clica aqui e ouve a nossa playlist da quarentena! Agora desafiamos-te a fazeres o mesmo e a pedires aos criativos que conheces que partilhem contigo a música que os inspira! Aquele som especial que ouvem quando precisam de criar, ou só a música que os faz relaxar e divagar para coisas novas.


3.       Faz um álbum de Pinterest como inspiração!

image

Estamos em crer que o Pinterest foi inventando por alguém com demasiado tempo nas mãos! Só isso explica a quantidade de tempo que podermos perder a ver imagens bonitas e criativas de praticamente tudo! Aquilo é uma máquina de tempo de onde saímos com mil projectos na acbeça e cheios de inspiração para a vida!

E a verdade é que há por ali muita criatividade a brotar em diversas imagens. Seja nas contas de DIY (Do It Yourself), seja nas contas de fotografias lindas, os álbuns de Pinterest podem bem ser uma fonte de inspiração. Se precisas de ajuda para começar, espreita o nosso e acrescenta lá as imagens que te inspiram sobre o tema “Azul”.


4.       Organiza um jantar às cegas.

image

Esta é daquelas ideias que tanto podia estar aqui como num argumento de filme de Hollywood. Apostamos que foi mais ou menos assim que o Arthur Schnitzler se lembrou de escrever o Traumnovelle e o Stanley Kubric de realizar o Eyes Wide Shut!

O que te propomos é bem mais simples: cozinha o teu jantar e saboreia-o às escuras! Podíamos sugerir também que o fizesses em silêncio, que seria semelhante. Em alternativa podes convidar um grupo de amigos para jantarem em tua casa e fazerem-no de olhos vendados. Acredita que seja qual for a ideia que decidas seguir vai ser memorável e uma experiência e tanto para os teus sentidos. 


5.       Cria uma conta de Instagram temática.

image

Porque um dos pilares necessários à criatividade é também a perseverança, nada como treinares usando as redes sociais! Mostra ao mundo o que fazes de melhor ou aquilo que te apaixona e deixa que isso guie a tua criatividade. Como nós somos guiados por pequenos-almoços incríveis, deixamos-te o PORTO.COME como inspiração! A comida é sempre um meio delicioso de chegarmos à nossa criatividade!

Em Julho fomos um UNDERDOG!

Quando o capítulo de Edimburgo escolheu o tema “Underdog” para explorar no mês de julho, a nossa escolha para convidado e orador recaiu imediatamente no Miguel Januário.

Enquanto artista urbano, com percurso iniciado no graffiti, e criador de uma arte visual contemporânea habitualmente subestimada, Miguel Januário considera-se um underdog, embora a comparação se esgote aí. Retirando de imediato a conotação negativa à palavra, Miguel Januário explicou-nos que um underdog pode ser também um agente subversivo, alguém que, por estar na obscuridade, tem total liberdade para nutrir a sua capacidade de criar com o olhar crítico que a observação na penumbra lhe permite. Embora um underdog se defina como alguém subvalorizado, entregue aos seus próprios recursos para conseguir progredir e singrar contra todas as probabilidades, pode, nesse contexto, ser também um agente catalisador de reflexão e de crítica sobre os posicionamentos, também eles ambíguos e difíceis de definir, que a própria sociedade encerra.

Foi esta a ideia que dinamizou a nossa conversa no acolhedor e singular espaço da abcoffee onde parte da equipa das CreativeMornings Porto se reuniu, revigorada pela proximidade de afetos que o desconfinamento lhe permitiu e pelo café da Senzu Coffee Roasters e o sempre aprimorado e delicioso pequeno-almoço d’ O Piquenique.

É com o aproximar do final do curso de Design de Comunicação, da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, que Miguel Januário começa a questionar o seu papel enquanto designer ao serviço de uma indústria de marketing e publicidade onde o trabalho é frequentemente direcionado para embelezar, enganar e esconder a realidade em prol do consumo. Em 2005, fruto dessas questões, surge o ±MaisMenos±, um projeto artístico de intervenção que pretendia refletir sobre a questão do design ao serviço das marcas e refém de uma sociedade de mercado.

Recorrendo à linguagem da publicidade, tão enraizada no subconsciente coletivo e por isso mesmo facilmente identificável por parte do público e através da criação de uma identidade-logotipo, o projeto ±MaisMenos± usa truques publicitários para invadir a rua com frases críticas, assertivas, diretas e ilustradoras de uma sociedade especulativa e gentrificada, que se vai anulando de forma distópica e dividindo entre os que têm e os que não têm.

Miguel Januário aproveitou o tema subjacente à conversa para realçar ainda que o projeto, à semelhança da sociedade que critica, é também um paradoxo: embora se apresente como anti-marca, utiliza ferramentas do sistema para o criticar e embora se proponha como elemento crítico encontramos nele traços de uma certa domesticação enquanto objeto de entretenimento e consumo: “O que é antissistema está por vezes dentro do próprio sistema”, realçou em jeito de conclusão.

Relembrando vários episódios do seu percurso criativo, o nosso orador de Julho salientou ainda, com sentido de humor e  ironia, o confronto sempre presente com a autoridade e o poder, numa conversa que podes ouvir, na íntegra, através do nosso já habitual podcast mensal no Spotify ou Mixcloud.

A equipa das CreativeMornings Porto está de malas aviadas e pronta para ir para fora cá dentro, dando assim início a umas férias de 15 dias. Estaremos de regresso dia 17 de agosto, cheios de saudades e prontos para começar um novo calendário de temas e conversas criativas. A próxima está marcada para dia 28 de agosto com a designer de moda Katty Xiomara que nos vai falar de Stress, um tema inteiramente adequado a quem volta em modo zen e a necessitar de ferramentas motivadoras e inspiradoras para prolongar esse estado de espírito durante o regresso ao trabalho.  

 Até lá deixamos-te aqui a lista das próximas FieldTrips.


Texto: Mónica Leal

Fotografia: Filipe Brandão

Podcast: Liliana Gonçalves

more